Vinte e cinco anos sem David Mourão-Ferreira
Nos lugares por onde passou captou ritmos e imagens, exprimiu emoções, engendrou metáforas. Amantíssimo dos clássicos, cultivava no poema a divina proporção, num virtuosismo sem falhas.
Memória e louvor da editora Cotovia
A cultura sofre mais um rude golpe com o desaparecimento desta editora. A visão de uma utopia generosa foi apagada pelas cataratas da indiferença de quem poderia ter feito alguma coisa para a salvar.
Rui Knopfli, poeta extraterritorial
Considero Rui Knopfli um dos melhores poetas contemporâneos de língua portuguesa. Sem uma terra a que pudesse chamar sua, sentia-se estrangeirado n’O País dos Outros, título do primeiro livro (1959).